O lançamento do Edital para seleção de empreendedores interessados em atuar no setor do agronegócio, no dia 23 de junho, marca o início do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Empresas de Base Tecnológica Agropecuária e à Transferência de Tecnologia (Proeta) da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza/CE), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A iniciativa conta com a parceria do Parque de Desenvolvimento Tecnológico (PADETEC), da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial (Nutec) e do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec).
O chefe-geral da Embrapa Agroindústria Tropical, Lucas Leite, destaca o sentido do projeto de catalisar a experiência da Embrapa em pesquisa do agronegócio tropical, associada à experiência de gestão de incubação das empresas parceiras. “O que nós esperamos é que a associação das habilidades da pesquisa, do conhecimento e de gestão dêem elementos para que o Proeta seja um incentivador na criação de novas empresas de base tecnológica, visando o

desenvolvimento do agronegócio regional”, diz.
O representante do Padetec, Ari Marques da Silva, afirma que a iniciativa é uma grande oportunidade de colocar as avançadas tecnologias desenvolvidas pela Embrapa à disposição de empresários com visão empreendedora. Fernando Xavier, representante do Nutec, acredita que o Proeta já nasce vencedor “porque vai utilizar toda a competência técnica que a Embrapa Agroindústria Tropical dispõe”.
Edital
O edital já está disponível na página eletrônica da Embrapa Agroindústria Tropical (www.cnpat.embrapa.br) ou na sede da empresa, na Rua Dra. Sara Mesquita, 2.270, Fortaleza (CE), no horário de 7h30 às 16h30, até 21 de julho. É possível também obter informações pelo telefone (85) 3299-1893 ou pelo correio eletrônico joselito@cnpat.embrapa.br.
Segundo o consultor da Embrapa Agroindústria Tropical, Joselito Brilhante, o resultado da pré-seleção sairá no dia 27 de julho e os empreendedores selecionados terão acesso a um curso de capacitação para a elaboração de um plano de negócios. “Esse plano deverá conter, não só o detalhamento técnico da proposta, mas a viabilidade econômica e de marketing, o impacto social do empreendimento e a responsabilidade social da empresa”, adiantou Brilhante.
As etapas seguintes são a avaliação feita por um comitê ad hoc e uma entrevista individual. O resultado do edital será divulgado em 29 de agosto e haverá um prazo para a preparação da documentação para a assinatura do contrato e a instalação da nova empresa em uma das incubadoras parceiras.
Proeta
O Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Empresas de Base Tecnológica Agropecuária e à Transferência de Tecnologia é resultado de uma negociação feita pela Coordenadoria de Cooperação Internacional da Embrapa com o Banco Intereamericano de Desenvolvimento (BID), que é financiador parcial do projeto. A coordenação nacional do Proeta está a cargo da Embrapa Transferência de Tecnologia (Brasília/DF), que elegeu cinco unidades da Embrapa para iniciarem o projeto. A Embrapa Agroin

dústria Tropical é a única representante da Região Nordeste. As outras undiades são Embrapa Instrumentação Agropecuária (São Carlos/SP), Embrapa Cerrados, Embrapa Hortaliças e Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília.
O Proeta possui um conselho nacional e um conselho local, que funcionam como fóruns consultivos para assessorar a Embrapa no processo de incubação. No caso da Embrapa Agroindústria Tropical os membros do conselho local são o Banco do Nordeste, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), a Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec), o Sebrae, o Nutec, o Centec e o Padetec.
O objetivo principal do Proeta é estimular a criação e a instalação de micros, pequenas e médias empresas do agronegócio, que utilizem tecnologias geradas ou adaptadas pela Embrapa, a partir do processo de incubação. Esse processo promove o desenvolvimento socioeconômico ao induzir o surgimento de unidades produtivas que contribuam para o aumento da produção e a criação de postos de trabalho, a custos reduzidos.
A incubação caracteriza-se pela utilização de espaço físico especialmente construído ou adaptado, localizado em qualquer incubadora, para alojar temporariamente empresas cujo diferencial de negócio seja a inovação tecnológica.