Óleos essenciais, filmes comestíveis e o biorreator (equipamento para a produção de mudas em laboratório) são as novidades demonstradas pela Embrapa Agroindústria Tropical no Seminário Internacional: Inovação e Desenvolvimento Regional. O evento é promovido pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), entre os dias 5 e 7 de outubro, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em Fortaleza (CE).
Os óleos essenciais são metabólitos secundários presentes em diferentes partes das plantas que apresentam propriedades úteis para diferentes tipos de indústrias. No Laboratório de Química de Produtos Naturais da Embrapa Agroindústria Tropical são estudados diversos óleos essenciais com propriedades medicinais, biopesticidas e com potencial para a indústria de aromas e fragrâncias.
Os filmes comestíveis são embalagens que protegem os alimentos e podem aumentar sua durabilidade. No caso de frutas, por exemplo, os filmes reduzem as taxas de respiração e minimizam a perda de água. Na Embrapa Agroindústria Tropical são conduzidos estudos com filmes obtidos de vários materiais, como polpa de manga, polpa de acerola e goma de cajueiro.
Já o biorreator, uma espécie de “fábrica de plantas”, foi desenvolvido e patenteado pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília – DF). Com o biorreator é possível produzir mudas clonadas de forma semi-automática, com menor mão de obra e espaço. O equipamento passa por testes na Embrapa Agroindústria Tropical, em parceria com a empresa Bioclone. Os pesquisadores querem comparar o desempenho do equipamento com o do método convencional e determinar protocolos de produção de mudas de bananeira e de abacaxizeiro.
Evento - O Seminário Internacional: Inovação e Desenvolvimento Regional tem como objetivo unir setor produtivo, academia e governo, incentivando a interação de universidades e empresas e gestão pública, em prol do desenvolvimento regional.
Diversos palestrantes internacionais participam do evento, dentre eles o autor do livro Hélice Tríplice, de Henry Etzkowitz, que apresenta na publicação o modelo de interação da universidade, da indústria e do governo como “a chave para a inovação em sociedades cada vez mais baseadas no conhecimento”.
O evento aborda questões como a ampliação das universidades no desenvolvimento econômico e social regional; formas de incentivo à inovação por parte do governo e dos cidadãos; formas de colaboração entre empresas, universidades e governos em busca da inovação, identificação dos elementos-chave e de desafios para a inovação.