O Programa Vigilantes da Água Global ou Global Water Watch surgiu no Alabama/EUA, na Universidade de Auburn, e espalhou-se por diversos países como Filipinas, Equador e Indonésia. No Brasil, o Programa teve sua experiência pioneira no Vale do Jequitinhonha, região semi-árida de Minas Gerais, com o Fundo Cristão para Crianças, e iniciou no Estado do Ceará em 2006, através de projeto da Embrapa Agroindústria Tropical, de Fortaleza. Tem como objetivo geral monitorar a qualidade de fontes de água utilizadas para consumo humano, baseado na capacitação e formação de agentes ambientais pertencentes à própria comunidade, denominados "Vigilantes da Água".

O trabalho dos grupos de Vigilantes da Água consiste no monitoramento das fontes de água existentes nas comunidades onde estes atuam. São empregados princípios elementares de educação ambiental, como também técnicas simples e didáticas de análise da qualidade da água, por meio de oficinas de capacitação e formação, que permitem a obtenção de informações sobre possíveis problemas de poluição e degradação das fontes de água que abastecem as comunidades. Para a análise da água, eles recebem kits de monitoramento, certificados pelo programa GWW – Global Water Watch, que avalia a presença de coliformes totais e fecais na água de consumo humano.

O site do programa é www.cnpat.embrapa.br/vigilantes