Durante a Frutal 2008 – 15ª edição do evento que acontece de 15 a 18 de setembro no Centro de Convenções Edson Queiroz, em Fortaleza (CE) – um dos destaques será a série de Seminários e Mostra de Tecnologias Embrapa, num total de oito apresentações de pesquisadores da Embrapa Agroindústria Tropical.
O evento marca a parceria da empresa com o Instituto Frutal, desde a primeira edição. Também para marcar a data, a Embrapa Agroindústria Tropical será homenageada “pelo importante papel na história do setor da fruticultura e no sucesso do evento Frutal”, segundo palavras de seu idealizador, Euvaldo Bringel.
Todos os seminários acontecem nos dias 16, 17 e 18 de setembro, na Sala 03 do Centro de Convenções, a partir das 14h.
O primeiro deles (dia 16/09, das 14h às 15h30) vai tratar de Biotecnologia voltada para a Floricultura. Ministrado pela pesquisadora Ana Cristina Portugal, o seminário enfoca a técnica de micropropagação de mudas em laboratório, que permite a produção de mudas uniformes e em grandes quantidades, além de livres de pragas e doenças. A Embrapa Agroindústria Tropical foi a primeira instituição a desenvolver um protocolo de micropropagação de abacaxi ornamental. “Como resultado prático desse trabalho, o Estado do Ceará é, atualmente, o maior produtor e exportador dessa espécie”, explica a pesquisadora.
“Técnica do inseto estéril: tecnologia ambientalmente segura no controle da mosca-das-frutas” é o assunto do seminário que acontece a seguir, das 15h30 às 17h. Essa espécie é uma praga de grande impacto para a fruticultura mundial, podendo dificultar ou, até mesmo, impedir a exportação de frutas brasileiras. Uma das técnicas de combate é a produção massal de machos estéreis em biofábricas. Os machos são esterilizados por meio de irradiação e, ao serem liberados no campo, são incapazes de fecundar as fêmeas. Ao liberar aos poucos e continuamente esses insetos, é possível até erradicar a praga.
O primeiro dia de seminários encerra-se com o tema “Resultados preliminares do potencial de cultivo de plantas de clima temperado em Região Semi-Árida”, com o pesquisador Paulo Roberto Coelho Lopes, no horário das 17h às 18h30.
Agronegócio e gestão de águas
No dia 17, a primeira apresentação é sobre “Participação cidadã na gestão das águas. O analista da Embrapa Agroindústria Tropical, Ênio Girão, vai enfocar o trabalho dos grupos de Vigilantes da Água, que consiste no monitoramento das fontes de água, empregando princípios de educação ambiental e técnicas de análise da qualidade da água por meio de oficinas de capacitação e formação. “Os vigilantes organizam encontros periódicos nas comunidades, e utilizam os resultados das análises para discutir e mobilizar as famílias para os problemas diagnosticados, seus impactos, bem como discutir soluções para recuperar as fontes de água”, diz Ênio.
Às 15h30, o seminário “Elaboração de barra de cereal de caju” vai apresentar também o potencial de comercialização desse produto, devido a suas propriedades nutritivas. O analista Antonio Calixto Lima explica que a barra de caju desenvolvida pela Embrapa Agroindústria Tropical possui elevado teor de vitamina C, devido à incorporação do pedúnculo, da castanha e do suco clarificado concentrado.
O último seminário do dia vai apresentar o assunto “Preparação da empresa rural para certificação em sistema de qualidade”. A exigência por produtos de qualidade está levando um número crescente de produtores e empresários a investir na produção certificada, a exemplo de Produção Integrada de Frutas e Boas Práticas de Fabricação.
No dia 18, às 14h, “Incubação de agronegócio da Embrapa” será o tema enfocado por Joselito Brilhante, consultor do programa de incubação de empresas da Embrapa Agroindústria Tropical. “Este programa tem o objetivo de dar suporte tecnológico a pequenas e médias empresas que queiram utilizar tecnologias geradas ou adaptadas pela Embrapa”, adianta Joselito.
Em seguida, fechando a programação dos seminários, o engenheiro de alimentos, Fernando Abreu, vai falar sobre “Microfiltração tangencial e suas aplicações no setor agroindustrial”. A tecnologia foi desenvolvida para purificação de águas e efluentes industriais, sendo adaptada e largamente usada na área de alimentos e bebidas. No setor de frutas, suas aplicações vão desde a clarificação até a esterilização a frio, que preserva todos os componentes dos sucos. “É uma das tecnologias de baixo impacto mais utilizadas pelas indústrias em todo o mundo”, conta Abreu.