Empresa incubada da Embrapa tem projeto inovador aprovado

A Bioclone, empresa incubada do Programa de Incubação de Agronegócios (Proeta) da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza-CE), teve seu projeto aprovado no Programa de Apoio a Pesquisas em Empresas (PAPPE). O programa é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), realizada pela Finep em parceria com as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs).De acordo com o agrônomo Roberto Caracas, proprietário da Bioclone, os recursos obtidos serão destinados a pesquisas inovadoras nas áreas de macro e micropropagação de mudas.
Na área da macropropagação, o objetivo é produzir mudas de melão, melancia e maracujá mais resistentes a pragas e doenças por meio de enxertia. Atualmente, os gastos com proteção de plantas representam até 40% do custo total da produção. Com a inovação, esse percentual poderá ser reduzido. No que se refere a micropropagação, a meta é produzir mudas de bananeira usando biorreatores. A técnica, explica o agrônomo, irá proporcionar um ganho de produtividade cerca de vinte vezes maior que o método convencional. A expectativa é que, dentro de um ano, essas novidades comecem a ser disponibilizadas para os produtores.
Segundo Roberto Caracas, o apoio da Embrapa foi muito importante para a aprovação do projeto, tanto pela credibilidade da instituição quanto por seu corpo técnico altamente qualificado. Além da Embrapa, integram o projeto a empresa TopPlant (coordenadora do projeto), o Instituto Centro de Ensino Tecnológico do Ceará (Centec-CE) e o Laboratório de Virologia Vegetal da Universidade Federal do Ceará (UFC).
Para a pesquisadora da Embrapa Agroindústria Tropical Ana Cristina Portugal, a aprovação do projeto mostra a capacidade das instituições e empresas envolvidas. Ela também destaca o perfil do edital, que privilegia uma maior articulação entre os setores empresarial e científico. “É altamente gratificante ter a oportunidade de ver o resultado de sua pesquisa sendo aplicado em larga escala, dando retorno à sociedade”, afirma. Ainda de acordo com a pesquisadora, essa parceria traz novas preocupações ao cientista, como a de criar produtos que possam chegar ao mercado com o menor custo possível.

Resultados

Há sete meses no mercado, a Bioclone tem capacidade de produzir clones de mudas de abacaxi, banana, cana-de-açúcar e algumas flores tropicais ornamentais. Hoje, no mercado cearense, entre 80% e 90% das mudas de bananas utilizadas vêm de fora do Estado e até de outros países, como Costa Rica e Israel. O objetivo da empresa, explica Roberto Caracas, é oferecer uma opção local de qualidade para o produtor.
No Proeta, as empresas incubadas contam com apoio técnico e capacitação gerencial. Atualmente, o programa possui cinco empresas incubadas e uma empresa graduada, a Panflora. Há, ainda, quatro empresas em fase de pré-incubação.

Contatos:
Proeta
www.cnpat.embrapa.br/proeta
Telefones: (85) 3391.7144 e (85) 3391.7143
E-mail: genesio@cnpat.embrapa.br e joselito@cnpat.embrapa.br