Para quem pratica atividades físicas ou não tem muito tempo para se alimentar, as barras de cereais apresentam-se como uma boa alternativa de nutrição. O mercado está repleto de variedades para todos os gostos nas prateleiras de supermercados, farmácias e lojas de produtos naturais. É preciso, no entanto, conhecer os tipos de barra existentes e para que elas se destinam.
A primeira barra de cereal fabricada no Brasil foi a Chonk, da Nutrimental, em 1992. Parte dos seus lucros era revertido para comunidades carentes da Amazônia. Dois anos depois, o produto foi reposicionado no ]mercado e ganhou outro nome, que permanece até hoje: Nutry. Pouco tempo depois, muitas outras empresas passaram a investir no filão cada vez mais crescenta, uma vez que a preocupação com a saúde aumentou em uma escala global.
Os cereais foram escolhidos como fonte alternativa de alimentação por serem ricos em carboidratos, um grande fornecedor de energia para o dia-a-dia. Entre alguns exemplos de cereais estão o arroz, a aveia, o centeio, a cevada, o milho e o trigo. Nas barras, esses alimentos apresentam-se em sua forma integral, ou seja, sua estrutura não é alterada pelo processo de refinação, como em outros produtos. Além dos cereais, as frutas desidratadas são uma excelente opção para a produção das barrinhas.Há no mercado produtos feitos à base de banana, ameixa, castanha-do-pará, maça e morango.
Pensando nisso, a Embrapa Agroindústria Tropical desenvolveu uma barra de frutas rica em proteínas e em vitamina C: a barra de caju. Além de ser uma fonte de energia 100% natural, a barra aproveita integralmente todos os componentes do fruto, de sua castanha até o pedúnculo.
O produto é elaborado à base de caju desidratado, xerém de amêndoa de castanha e suco de caju concentrado acrescido de flocos de arroz, açúcar-mascavo, mel de abelha e aditivos. A barra de caju ainda não é explorada comercialmente, mas já se encontra como uma das tecnologias disponíveis no edital do programa de incubação tecnológica de agronegócios da Embrapa, o Proeta.
Na 24ª Feira Internacional de Produtos e Serviços para Alimentação Fora do Lar (Fispal Food Service 2008), realizada em junho deste ano, o pesquisador Antonio Calixto Lima, cuja tese de doutorado foi a barra de caju, ministrou um curso sobre o assunto na Cozinha Experimental do evento. No fim do ano passado, a Embrapa lançou uma edição da Coleção Agricultura Familiar sobre a barra de cereal de caju. A publicação traz uma breve definição do produto e as etapas do seu processo de produção, passo-a-passo. Desde a desidratação do pedúnculo de caju até a embalagem e o armazenamento.
Com o manual, produtores rurais, agricultores familiares e microempresários da agroindústria poderão obter orientações básicas para que possam agregar valor às frutas tropicais, contribuindo assim para o aumento da renda e a redução do desperdício.

Mais informações:

Embrapa Agroindústria Tropical
Jornalistas: Ricardo Moura (DRT 1681CE JP) e Teresa Barroso (DRT 812CE JP)
Telefone: (85) 3391-7100
E-mails: ricardo@cnpat.embrapa.br e teresa@cnpat.embrapa.br