Estimativa do Potencial de Cultivo do Cajueiro nos Municípios do Nordeste e Norte de Minas Gerais

A unidade básica de mapeamento utilizada no Zoneamento Pedoclimático da Cultura do Cajueiro no Nordeste do Brasil e Norte de Minas Gerais foi a unidade geoambiental, o que, a princípio, dificulta a determinação do potencial em cada município, pois não há coincidência entre os limites das unidades e dos municípios. Entretanto, este problema pode ser contornado com uso de Sistema de Informações Geográficas (SIG).

Neste trabalho, optou-se pelo uso do sistema de informações geográficas SPRING o qual possui tecnologia apropriada para a solução deste tipo de problema. Inicialmente, foram construídos os mapas digitais com a divisão municipal dos Estados do Nordeste e Norte de Minas, com auxílio do SPRING, tendo como base a Malha Municipal Digital do Brasil, situação em 1996, do IBGE, em escala 1:500.000. Em seguida, foi elaborado o mapa do Zoneamento no formato do SPRING, por meio da conversão do mapa original, em escala 1:2.000.000. O fato dos mapas da Malha Municipal e do Zoneamento estarem em escalas diferentes, não representa nenhuma dificuldade para o cruzamento das informações, posto que ambos são georreferenciados na conversão para o SPRING. Entretanto, ao se considerar a precisão do mapa final, logicamente irá prevalecer a do mapa de menor escala, ou seja, 1:2.000.000. O passo seguinte no processo, é o calculo das áreas das interseções entre os polígonos do Zoneamento e da Malha Municipal. Isto é feito por meio da ferramenta de tabulação cruzada do SPRING, que gera automaticamente uma tabela com as áreas das interseções entre cada um dos municípios com cada uma das unidades geoambientais do Zoneamento. Esta tabela foi então transportada para uma planilha eletrônica, na qual foram feitos os cálculos das probabilidades de se encontrar terras com aptidão preferencial, regular ou marginal, em cada um dos municípios, com base no Zoneamento. Este cálculo foi feito da seguinte maneira: para cada município, foi calculada a porcentagem de seu território que é ocupada por cada unidade geoambiental (u1,...,un); em seguida, foram levantadas as porcentagens de terras com aptidão preferencial (p1,...,pn), regular (r1,...,rn) ou marginal (m1,...,mn) para cada uma das n unidades geoambientais; por fim, a probabilidade de um ponto qualquer no município pertencer a terras com aptidão preferencial (P), regular (R) ou marginal (M) foram calculadas pelas expressões:

P = (u1 × p1) + (u2× p2) +...+ (un × pn),

R = (u1 × r1) + (u2 × r2) +...+ (un × rn),

M = (u1 × m1) + (u2 × m2) +...+ (un × mn).

Uma vez calculados estes valores, a probabilidade de um ponto no município pertencer a terras não indicadas para a cajucultura (NI) será dada por:

NI = 1 - (P + R + M).

Para ilustrar o processo, vamos considerar, por exemplo, o município de Pio IX, PI, que é um grande produtor de castanha de caju na região. Este município intersecta quatro unidades geoambientais que chamaremos de UG1, UG2, UG3 e UG4, e que apresentam os seguintes níveis de aptidão para o cultivo do cajueiro:

Sabendo-se que as porcentagens de território do município ocupadas por estas unidades geoambientais são respectivamente: u1 = 45,24%; u2 = 23,77%; u3 = 7,07%; u4 = 23,92%; teremos:

P = (0,4524 × 0,65) + (0,2377 × 0) + (0,0707 × 0) + (0,2392 × 0) = 0,2941

R = (0,4524 × 0,20) + (0,2377 × 0) + (0,0707 × 0) + (0,2392 × 0) = 0,0905

M = (0,4524 × 0) + (0,2377 × 1) + (0,0707 × 0,85) + (0,2392 × 0) = 0,2978

NI = 1 - (0,2941 + 0,0905 + 0,2978) = 0,3176

Ou seja, ao se escolher uma área aleatória no município de Pio IX, de acordo com o Zoneamento Pedoclimático da Cultura do Cajueiro no Nordeste do Brasil e Norte de Minas Gerais, haverá 29,41% de chance desta área conter terras com aptidão preferencial, 9,05% de chance de conter terras com aptidão regular, 29,78% de chance de conter terras com aptidão marginal e 31,76% de chance de conter terras não indicadas para cultivo do cajueiro. Se a escolha não for aleatória e utilizar algum critério adicional, certamente as chances de se encontrar áreas com maior aptidão serão maiores. Entretanto, neste trabalho estamos considerando uma escolha estritamente aleatória, e não é dada nenhuma referência sobre a localização de áreas com maior ou menor aptidão dentro do município.